TV CONSUMIDOR TVU ONLINE FEDC - RS NOTÍCIAS RECOMENDAMOS QUEM SOMOS CONTATO  
Coerência
   
     
 


22/05/2017

Coerência
Artigo de Vitor Augusto Koch Presidente da FCDL-RS

Sem dúvida que o fato de que as denúncias contra o Presidente Michel Temer tiveram o objetivo de aumentar a instabilidade do Brasil.

São as tais das “manobras políticas” daqueles que fazem do País um parque de manipulações e deboches da população, sem contar os roubos de recursos pagos por trabalhadores, empresários, profissionais liberais e aposentados através dos impostos.

Mesmo querendo acreditar que as citadas acusações tenham sido originadas de manipulação de gravações, o fato é que a situação em questão deixou espaço de sobra para necessidades de esclarecimentos.

Se isto não acontecer, teremos mais um Presidente da República sem legitimidade para ocupar tal posto.

Somos favoráveis à abertura do processo de impeachment de Michel Temer, para que ele possa se defender adequadamente e buscar sua absolvição.

Isto deve acontecer a partir de uma condição básica: o Brasil não pode parar.

Devemos saber diferenciar a politicagem da política. 
Nosso país deve provar agora que suas instituições são fortes o suficiente para seguir seu caminho, enquanto seus líderes – se é que podemos chamá-los assim? – se engalfinham feito moleques.

Que se julgue Michel Temer, Aécio Neves, Lula, Dilma e quem quer que seja; sem comprometer a governabilidade e as reformas estruturais que – acreditamos – ainda estão prestes a serem aprovadas pelo Congresso Nacional.

Não podemos abrir mão disto, pois caso os aperfeiçoamentos da legislação trabalhista e da previdência não aconteçam, em pouco tempo estaremos nos aprofundando ainda mais no colapso social e econômico que penaliza as famílias brasileiras.

O caso dos irmãos da JBS e empresas coligadas são emblemáticos para a coerência ética empresarial.

As dezenas de bilhões de reais que estes cidadãos – que se dizem empreendedores – pegaram do BNDES e outras instituições oficiais à custa de propinas saíram, na verdade, dos nossos bolsos.

Nós é que pagamos os impostos que capitalizaram o citado banco de fomento.

O posicionamento da Federação das CDLs do RS é: aqueles que são participantes ou mesmo coniventes com sonegação, contrabando e corrupção devem ser punidos exemplarmente e não ser tolerado nas organizações.

Para exigirmos ética, qualidade dos serviços públicos, juros e impostos mais reduzidos, devemos nos manter coerentes com as regras estabelecidas com propósito único de ter autoridade moral de tentar mudá-las para melhor.

Vitor Augusto Koch, Presidente FCDL-RS

Fonte: Vitor Augusto Koch
Autor: O autor
Revisão e edição: de responsabilidade da fonte

Imprimir Enviar link

   
 
   
 
Comentários
 0 comentários


   
       
     



     
   
     
   
     
 







































 
     
   
     
 
 
 
     
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
 
       
Rua Dr. Flores n. 263, conjunto 1101
CEP: 90020-122 - Porto Alegre/RS
+55 (51) 3321.3535 / 9997.3535
appel@consumidorrs.com.br