TV CONSUMIDOR Bah! TV ONLINE FEDC - RS NOTÍCIAS RECOMENDAMOS QUEM SOMOS CONTATO  
AMRIGS recomenda vacinação contra febre amarela à população gaúcha
   
     
 


13/02/2017

AMRIGS recomenda vacinação contra febre amarela à população gaúcha
Entidade reforça que a vacina é fundamental para evitar que a doença atinja os gaúchos

O surto de febre amarela registrado em algumas regiões do Brasil, com maior abrangência na zona rural de Minas Gerais, preocupa as autoridades de saúde em todo o país. No Rio Grande do Sul, o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEV/RS) já emitiu alerta epidemiológico sobre a doença, com orientações sobre o controle da presença do vírus e de atualização vacinal da população sem vacina ou com esquema incompleto.

Para o presidente da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), Alfredo Floro Cantalice Neto, é importante que as pessoas que pretendem viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata busquem a imunização, para evitar que contraiam a enfermidade.

- A dose é disponibilizada nos postos de saúde. Portanto, quem puder atualizar sua situação vacinal deve fazê-lo. A febre amarela é uma doença grave, transmitida pela picada de mosquistos infectados com o vírus. Nas áreas rurais, os vetores são o Haemagogus e o Sabethes, tendo como hospedeiros os macacos. Nas zonas urbanas, a enfermidade ocorre quando uma pessoa doente é picada pelo Aedes aegypti, que infecta depois outras pessoas e dá início a um ciclo de transmissão - enfatiza o presidente da AMRIGS.

Embora seja menos comum do que a dengue, a febre amarela tem uma taxa de letalidade maior. Em uma semana, pode matar entre 15% e 45% dos enfermos, enquanto a dengue vitima 1% e a zika e a chikungunya uma porcentagem ainda menor.

Os sintomas iniciais da doença são febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Nos casos mais graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pela e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque anafilático e insuficiência de múltiplos órgãos. Se não for tratada rapidamente, a febre amarela pode levar à morte em uma semana.

O Brasil não registra casos de febre amarela em área urbana desde 1942, mas é importante que a população destas zonas tome as precauções necessárias para evitar contrair a doença, ou seja, além de se vacinar também combater a proliferação do Aedes aegypti.

Em casos de suspeita de febre amarela, é muito importante se deslocar a um serviço de saúde e realizar um exame de sangue para confirmar a presença do vírus. Também é aconselhado não tomar nenhum medicamento em casa, pois podem conter substâncias que piorem os sintomas da doença. Um exemplo é o ácido acetilsalicílico, substância que aumenta o risco de desenvolver hemorragias, causando risco de vida.

O tratamento da febre amarela serve apenas para aliviar os sintomas da doença, pois não há nenhum tratamento para eliminar o vírus. Dessa forma, normalmente é feito com internamento no hospital para ministrar remédios analgésicos e antitérmicos diretamente na veia, de forma a reduzir as dores e a febre.

Fonte: Play Press
Autor: César Moraes
Revisão e edição: de responsabilidade da fonte
Autor da foto: Marcelo Matusiak


Imprimir Enviar link

   
     
 
Comentários
 0 comentários


   
       
     



     
   
     
   
     
 

































 
     
   
     
 
 
 
     
 
 
     
     
 
 
       
Rua Dr. Flores n. 263, conjunto 1101
CEP: 90020-122 - Porto Alegre/RS
+55 (51) 3321.3535 / 9997.3535
appel@consumidorrs.com.br